Os vinhos americanos estão chegando

Bruno Agostini | Originalmente postado por O Globo.

IV_BrandFamily_2013_LowRes

Mesmo quase 40 anos depois do famoso Julgamento de Paris, quando vinhos californianos bateram grandes rótulos de Bordeaux (tinto) e Borgonha (brancos), em degustação às cegas na capital francesa, os brasileiros ainda olham com certa desconfiança para os vinhos americanos. O fenômeno se repete com as garrafas de outros países de língua inglesa, como a Austrália, berço de muitos dos melhores vinhos do mundo, com destaque para a uva Shiraz; Nova Zelândia, famosa pela qualidade de seu terroir muito propício para castas de clima frio, como Sauvignon Blanc e Pinot Noir, e mesmo o Canadá, pátria de ótimas vinícolas, entre as quais muitas fazem o cultuado ice wine, feito com os cachos congelados, colhidos entre dezembro e janeiro.  Continue reading

Advertisements

A uva Zinfandel e os vinhos da Califórnia: pelo fim do preconceito

Bruno Agostini | Originalmente postado por O Globo

Ironstone Reserve 2008 – Foto de Bruno Agostini

Até pouco tem era muito difícil encontrar um vinho americano no Brasil. O pouco que havia entrava no país na mala de viajantes e compradores profissionais, e eram geralmente os rótulos mais caros e exclusivos produzidos na Califórnia, como Opus One, Chateau Montelena, Steag’s Leap, Rubicon e Araujo, entre alguns poucos outros produtores de vinhos excepcionais, porém caros, quase sempre seguindo o estilo francês, de Bordeaux no caso dos tintos, e da Borgonha no caso dos brancos. Continue reading